sábado, 28 de março de 2009

The Curious Case of Benjamin Button





Finalmente vi este filme tão falado este ano, com grandes expectativas de ver um filme épico em beleza e atuações. Ok, gostei imensamente do filme, mas não superou minhas expectativas. Inspirado no romance de F. Scott Fiztgerald, Benjamin Button é o homem que envelhece ao revés, por razão de alguma anomalia genética inexistente. Por sua condição no mínimo bizarra ele acaba tendo uma experiência de vida única e visão de mundo completamente diferente das pessoas "normais".

O filme é sim, uma história de amor, entre um velho com mente jovem e uma menininha, uma adolescente e um senhor maduro, homem e mulher, idosa e um bebê. É a história do amor em todas suas facetas: amizade, cumplicidade, paixão, companheirismo, fraterno. Mas também é uma história de aceitação, de derrubar barreiras sociais, de auto conhecimento e contemplação. Nisto o filme é sublime, aliado a fotografia de se tirar o fôlego.

Talvez por expectativa de saber o que vem depois achei o filme ligeiramente comprido, em suas quase 3 horas de duração, mas na verdade, quase não se pode senti-las, em sua maior parte. A atuação da desconhecida Taraji P. Henson é merecedora do Oscar a que foi indicada, Cate Blanchet como sempre é exemplar, na suavidade e precisão já esperadas de seus personagens, e bela. Brad Pitt faz um velho melhor que um jovem, mas a maquiagem nos leva de volta a beleza do Brad em seu pequeno e memorável papel de "Telma & Louise".

Enfim, é um filme precioso, que provavelmente não será apreciado por todas as pessoas nos mesmos níveis, há muito o que se analisar, absorver e ruminar sobre Benjamin Button em cada etapa de sua vida. E claro, na melhor interpretação laurística, chorei copiosamente nas cenas finais.

3 comentários:

Diana Bitten disse...

Amei seu post. A parte que você disse do amor em todas as faixas foi perfeita!

Mas ainda não entendo como pode chorar... rs

Que bom, mais uma fã do BB!

Laura Schwartz disse...

Cara, vc me conhece, tenho problemas sobre término, fins, morte, encerramento, etc. Por isso choro nestes filmes. huhauhauhauah

Cristine Martin disse...

Ah, adorei esse filme, já vi umas três vezes. Parabéns pela resenha, realmente está muito boa.

Grande abraço!