quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Desafio Literário 2010 (Novembro)

Tema: Autor Português
Mês: Novembro

Livro: As Intermitências da Morte
Autor: José Saramago
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 208


Sinopse: O que aconteceria se ninguém mais morresse? Quais repercursões isso traria para a Humanidade? Esse é o ponto de partida do livro de José Saramago, que acompanha as consequências de uma sociedade sem a morte, e segue apresentando a própria Morte como personagem necessário e importante.

Observações: Sempre tive curiosidade de ler Saramago, desde que meu pai leu "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" e achou brilhante a idéia dele em humanizar Jesus e contar a história de forma prática. Achei o tema deste interessante e decidi escolher ele com meu primeiro Saramago. Achei muito interessante a estrutura textual dele, e a premissa do livro é fantástica, Saramago é um ótimo crítico do homem e da sociedade. No decorrer do livro, o balance entre o temor (e consequente alívio na ausência dela) e a necessidade da morte foi muito interessante, a representação da morte me lembra vários filmes e livros que mostram uma morte humanizada, real, e não somente uma figura sombria e assustadora que está presente somente para ceifar almas, Enfim, é uma obra claramente bem escrita por uma grande mente, mas acho que o desfecho final não segue essa temática, preciso de uma releitura para chegar a uma conclusão mais definida do que achei realmente do livro como um todo.

Nota: 4/5

5 comentários:

Vivi disse...

Oi, Laura! Excelente resenha. Eu tenho minhas reservas contra Saramago por conta de apologias que o colocam como descobridor de uma nova Bíblia, digamos assim. Não o considero o "humanizador" de Jesus, uma que Jesus veio ao mundo humanizado. Aliás, a única humanização verdadeira, além de Adão. Mas, estou curiosa para compreender o sentido "saramaganizado" da morte. ;D

Beijocas

Diana Bitten disse...

Gostei. Pena que eu estou tão enrolada para ler ultimamente... tenho sentido uma falta!

Bjo.

Laura disse...

@Vivi - A meu entender a humanização é no sentido de analisar a história fora de metáforas e interpretações dos seguidores dele. Acho interessante analisar algo assim cientificamente, controverso ou não, é diferente, e eu gosto de questionamentos assim, admitindo que não sou religiosa.

Mi Müller disse...

Báh eu gosto muito de Saramago, e este livro está na minha lsita faz tempo. Adorei tua resenha ;)
estrelinhas coloridas...

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Laura, preciso ler Saramago, mas vou comecar com Ensaio sobre a cegueira, gostei da sua resenha, beijos