domingo, 30 de novembro de 2008

Confissões

Eu confesso, gosto de coisas duvidosas.

Não me levem a mal, tenho bom gosto para muitas coisas, e na maior parte do tempo dou boas indicações para outras pessoas. Mas tenho essa peculiaridade. Gosto de coisas consideradas ruins, como se não tivesse inteligência para perceber que assim são, como se fosse uma criança ou adolescente. Não é bem assim.

Eu tenho consciência que me apego com prazer à imbecilidades, coisas toscas, de baixa qualidade, ruins até. Leio romances baratos, e suspiro. Vejo filmes B, e me divirto. Animes idiotas? Tô dentro.

Pra mim, esses são momentos de total liberdade, esvaziar a mente, sonhar acordada, descontrair. Essa é a importância desse hábito. Afinal, quando o mundo está fazendo caretas, o que você prefere? Sentir o peso de Chico em "Estorvo" em seus ombros ou expelir o estresse gargalhando com Veríssimo?

Assim são minhas "coisinhas". Assim sou eu. Não preciso abrir mão destes pequenos prazeres pra saber apreciar um bom livro, filme, etc. Não sou mais burra por isso.

E você? Tem indiossincrasias?

3 comentários:

Diana Bitten disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diana Bitten disse...

Não preciso comentar, acredito.

Penso exatamente igual. Curto exatamente igual. Me considero bem excêntrica as vezes. E aprecio ser assim.

Como você eu não abro mão desse meu lado e não fico menos inteligente por causa disso.

E, tem pessoas que apreciam, como diz um amigo meu: "você (eu) é um "juntado" de surpresas"...

EDIT: tomei esporro por causa de erro de digitação, sendo assim arrumei-os.

Laura Schwartz disse...

Dampira ...