quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Tokyo Crazy Paradise


Tóquio, 2020. A criminalidade é altíssima, e em números, crimes contra mulheres só perdem para os homicídios. Para prevenir que sua filha seja exposta a estes crimes, os pais de Tsukasa a criaram como menino. O sonho de Tsukasa é ser uma policial do esquadrão especial que combate a Yakuza, como seus pais. No entanto, seus pais morrem num confronto, deixando Tsukasa e seus 3 irmãos sem ninguém, e eles acabam seriamente endividados. Assim Tsukasa acaba trabalhando como guarda-costas de Ryuji, um dos líderes do mais poderoso grupo da Yakuza em troca de ver suas dívidas perdoadas.

Essa é a premisa para "Tokyo Crazy Paradise", mangá de Yoshiki Nakamura publicado de 1996 a 2002. Eu tinha ouvido falar deste mangá há alguns anos quando ainda era frequentadora assídua do fórum Anime Horizons. Sempre falaram muito bem da história, e sempre ouvi que sua popularidade se devia mesmo a força da história, que é trabalhada brilhantemente. Acabei encontrando o mangá online no site One Manga e coloquei ele na minha lista.

Nota: Depois de terminar de ler o mangá é que descobri que a autora é a mesma de Skip Beat, do qual já falei AQUI, e o qual sigo acompanhando.


Há mais ou menos um mês finalmente parei pra ler este shoujo, que para mim, é na verdade uma mistura perfeita de shounen e shoujo, com muita ação, muita comédia e também romance, e que acredito que agradaria todo tipo de fã otaku. Eu colocaria a história em uma categoria à parte, unisex.

Depois de ler "Tokyo Crazy Paradise" fãs de shoujo vão querer que Tsukasa mate todas as outras mocinhas famosas, pois ela é simplesmente a heroína mais guerreira, sinistra já vista por mim em shoujos, ela nunca fica atrás dos homens da série, aliás, as mulheres têm papel importante, talvez por ser shoujo, mas como disse que também era shounen, elas não são mais reverenciadas, mas sim colocadas lado a lado com os homens. Elas também se destacam porque o mangá é ambientado num futuro onde há menos mulheres, o que também explica o fato de crimes sexuais contra as mulheres serem tão frequentes.


O grande trunfo deste mangá pra mim é realmente a história. A trama básica vai se abrindo como num bom livro, formando uma trama muito maior e super bem elaborada que culmina nos últimos muitos capítulos. Nunca vi uma história de mangá tão bem resolvida, desenvolvida em velocidade perfeita, nada de enrolação onde não deve ter, pois tudo é colocado de forma gradativa, mas sem pesar no todo. Exemplificando: o romance dos protagonistas é notável desde o início, mas ao contrário de vários shoujos que criam situações inverossímeis pra retardar o desenrolar do romance, os empecilhos de "Tokyo Crazy Paradise" fazem muito sentido, e no todo a trama política, de ação, a comédia, e tudo mais que "Tokyo..." é me manteve entertida e sem me preocupar com somente o aspecto romântico da história. E o mesmo pode ser dito de todos os outros aspectos, já que a trama é o entrelace perfeito de suas partes (drama, ação, comédia, romance).


Não poderia recomendar esse mangá com mais veêmencia. Se você é fã de mangás, LEIA. "Tokyo Crazy Paradise" está disponível, em inglês, AQUI.

4 comentários:

Belita disse...

Mais um mangá que eu já peguei e larguei mil vezes... ai ai... tenho que arrumar um tempinho para voltar a ler mangás.

Obrigada pela dica, Laura!

Laura Schwartz disse...

Eu tinha pegado e largado ele há muito tempo, mas desta vez engrenei e adorei!

Babi disse...

Esse mangá é muito bom! Um dos melhores que li, pena que não encontro outros como ele (romance, comédia, ação e gender-bender), vale mesmo a pena lê-lo!

Anônimo disse...

eiiiiiii eui achei em portugues
uaaaaaaaaa
no manga host e no yes mangas