domingo, 21 de março de 2010

'Koi, Hirari', 'Otokomae Beads Club' & 'Lovesick'

Nas últimas semanas andei lendo mangás que ainda estão em andamento, e sempre que chego ao capítulo mais recente deles eu adiciono a capa no slideshow aí do lado. Mas eu costumo tentar intercalar um mangá em andamento com uma história completa, e este mês li uns curtinhos que ainda não comentei.




Koi, Hirari - Esse é um shoujo de somente 12 capítulos, escrito por Mitsuki Miko, que fala sobre um romance entre uma estudante comum, Sumire, e o herdeiro de uma família importante, Kazuki, famoso pela perfeição em que executa a dança tradicional japonesa. A história se foca na não aceitação de Sumire por parte da família de Kazuki, e de como o romance dos dois afeta a dança dele. O mangá não é muito marcante em sua história, mas o traço usado nas páginas que mostram a dança tradicional japonesa já valem uma conferida.



Otokomae Beads Club - One shot de Motomi Kyousuke, que fala de Ibuki, uma menina masculinizada que tenta ser delicada, para conseguir encontrar um namorado, e acaba participando de um clube de bijuteria da escola, onde conhece outras pessoas que não se encaixam nos padrões considerados normais para a escola. Esse shoujo é bem bobinho e meio sem pé nem cabeça, mas algumas cenas são bem engraçadinhas.




Lovesick - Outro One shot, da autora Maria, que de forma delicada conta a história de Yue, uma adolescente que perdeu sua mãe a agora vive com seu padrasto, que era muitos anos mais novo que sua mãe, um artista chamado Kouki. Yue se sente atraída por Kouki e o mangá segue seus sentimentos confusos de atração romântica e dependência emocional, já que os dois sentem juntos a perda de sua mãe. Inicialmente achei que nem ia gostar desse mangá, pensando que ia ter um tom meio pedófilo de amor entre padrasto e enteada, mas a história é bacana mesmo, o tom é maduro e o enredo é adequado e nada do que eu esperava, e fiquei satisfeita com o final, é um one shot bem divido e vale a pena conferir.

6 comentários:

Diana Bitten disse...

Olha, o primeiro eu li e tenho mesma opinião que vc.. o que salva mesmo é a dança final.

O segundo não li e nem sei se vou, pois não surtiu a mínima vontade.

Já o terceiro eu VOU ler.

Abço!

Laura Schwartz disse...

Só não vale falar que EU te obriguei, que eu TE obriguei, que eu te OBRIGUEI, viu?

Diana Bitten disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAHUAHUAHA cara.. comento pelo skype!!! ahuahauha

Vc vai brigar muito!

nefasta disse...

- O primeiro... Talvez dê uma lida, apesar de não ter gostado muito da premissa... =~

- O segundo, eu leio porque me lembrou Koukou Debut. Já leu esse? A coisa é mais ou menos como você descreveu o Otokomae Beads Club: uma menina meio masculinizada que quer encontrar um namorado... Olha, Koukou é bem engraçado!

- E acho que vou ler o terceiro hoje. :D

Abraços!

Laura Schwartz disse...

O primeiro é meio melodramático, eu não curti muito não, só a dança que é bonita de ver mesmo.

Eu já li Kokou Debut, mas foi antes de eu estar mantendo meu blog em dia então acabou ficando sem post dele. Kokou Debut é MIL vezes melhor que esse! Nem tem comparação, esse é curtinho e bobinho. rsrsrsr

Belita disse...

Li Otokomae Beads Club há uns meses... realmente é bobinho e engraçado e eu até que gostei da Ibuki. À época, era uma personagem feminina diferente do que eu estava acostumada a ver. Esse Koukou Debut eu não li, mas se é mil vezes melhor, com certeza vou le-lo, hahaha...

Bjos procê Laura!